segunda-feira, 14 de maio de 2007

Príncipe

Não quero palavras de amor sussurradas, olhos nos olhos
Não quero teus elogios, tampouco tuas reverências
Não basta abrir a porta do carro e fazer aquele olhar de “sou cavalheiro, não vês?”

Quero o impulso das suas palavras
O exagero dos seus sentimentos que irrompem do teu espírito
O seu olhar de medo, de alegria, de dor.

Chega de jargões, frases clichês
Pare com esse negócio de fazer as coisas por mim e dizer que é “um cara legal”
Seja você mesmo.

Ame, odeie, fique puto da vida
Chore, ria, diga que não sabe quando realmente não sabe.
Não prometa, faça, se puder fazer.
Faça se quizer fazer e diga quando não quizer.

O resto a gente vive.

By Anjo Azul

Um comentário:

Anne disse...

É mesmo, os intelectuais que me perdoem, mas eu também amo essa música...

Related Posts with Thumbnails